quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Consciência e pré-lançamento!

O ano se encaminha para o seu findar, mas nem por isso as atividades e ações da Associação Grupo Cultural Tiduca desaceleram o seu ritmo.
Por Liliana Soares
Aconteceu no dia 20 de novembro, na Praça Theodolina Gomes, o evento “Dia da Consciência Humana”, evento este que marcou o Dia da Consciência Negra como inesquecível para os munícipes de Cananéia. Tendo início às 9h, com uma linda Celebração da Missa Afro, realizada pelo Padre Alessandro Nascimento, da Paróquia São João Batista de Cananéia – SP, onde os cantos eram acompanhados por instrumentos de origem africana, como djembê, agbê e alfaia. No período da tarde ocorreu uma roda de conversa ministrada pelos Jovens Comunicadores da Associação Grupo Cultural Tiduca (Jovens Tiduqueiros), com assuntos pertinentes ao tema do evento e, também, muitas apresentações culturais, como dança, música e rodas de capoeira (Angola e Regional). E é claro a Associação não ficou de fora dessa, levando muito Maracatu, Coco de Roda e a Roda de Jongo, com a Comunidade Jongueira Tiduca e finalizando com uma grande Ciranda e encantando as mais de 200 pessoas presentes na Praça. Finalizando o mês de novembro com muita energia e boas vibrações, no último domingo, dia 27, integrantes da Associação realizaram uma visita à exposição “Linhas, Trançados e Cores” no SESC Registro e, como bons Tiduqueiros, não deixaram de fazer uma amostra dos trabalhos realizados, mostrando ao público presente, muito Jongo, Coco de Roda e Maracatu nos gramados do SESC. E dezembro começou em grande estilo. No dia dez foi realizado o pré-lançamento do Livro “Comunidade negra do Rocio – Redescobrindo nossas raízes jongueiras”, escrito pelos Jovens Tiduqueiros. O pré-lançamento aconteceu durante a realização do IV Encontro de Arte e Cultura e da VII Feira de Economia Solidária (ECOSOL), organizado pela Rede Cananéia, na Praça Theodolina Gomes (Tiduca). E claro, a Comunidade Jongueira Tiduca levou muito jongo para celebrar esse momento.

Cananéia Artes e Fibras realiza Oficina e participa da VII Feira de Economia Solidária em Cananéia

A CAF – Cananéia Artes e Fibras vem realizando diversas atividades de capacitação, exposição e comercialização de seus produtos. No dia 27 de novembro realizou uma Oficina de Trançado em Fibras no Mercado Municipal de Registro, das 14h às 17h, em comemoração ao aniversário do local. O evento foi aberto ao público e diversas atividades aconteceram, contando com a participação de cerca de 300 pessoas. Entre os dias nove e 11 de dezembro, a CAF participou da VII Feira de Economia Solidária em Cananéia e IV Encontro de Arte e Cultura, realizado pela Rede Cananéia, na Praça Theodolina Gomes, das 13h às 22h, com o objetivo de divulgar e comercializar seus produtos.

VII Feira de Economia Solidária e IV Encontro de Arte e Cultura em Cananéia

Oficinas, apresentações culturais, shows e produtos solidários de empreendimentos comunitários foram as atrações desse grande encontro.
Texto e fotos por Bárbara de Aquino
Entre os dias nove, dez e 11 de dezembro, a Associação Rede Cananéia promoveu a VII Feira de Economia Solidária e IV Encontro de Arte e Cultura, na Praça Theodolina Gomes (Tiduca), em Cananéia. Foram realizadas oficinas, apresentações culturais, shows e a exposição e venda de produtos solidários de empreendimentos comunitários locais. A organização estima a passagem de mais de 500 pessoas pelo local. O evento teve sua abertura às 18 horas na sexta-feira (nove) com a apresentação de “O Terço Encantado”, com Rodolfo Vidal, seguido de Roda de Capoeira com o Grupo de Capoeira Nosso Senhor do Bonfim “Filhos de Cananéia”. Com muita poesia, não poderia faltar a presença do Grupo Batucajé e, para fechar a noite, muito samba raiz com Clave de Samba, de Yasmin Farias. Com um jeito diferente de produzir, vender, comprar e trocar o que é preciso para viver. As associações e cooperativas locais ocuparam as tendas da VII Feira de Economia Solidária com seus produtos, desde vestuário, utensílios domésticos, acessórios, bibelôs, aos produtos orgânicos, naturais, provenientes da agrofloresta. Além disso, diversas opções de alimentação e bebidas típicas da região como a cataia e banana. No segundo dia de encontro as atividades já começaram com muita música e com a juventude da cidade, com a apresentação da Banda Municipal “Maestro João Gonçalves de Araújo”, seguida pela apresentação da Tribo Indígena de Cananéia. A tarde foi repleta de oficinas e atividades culturais, como a Oficina de Abayomis da Associação Grupo Cultural Tiduca e Confecção de Aves da Mata Atlântica em Argila, com Amir Oliveira, além do Grupo Cheiro do Mato e CAF - Cananéia Artes e Fibras. Nessa mesma tarde a Feira de Trocas foi um momento no qual o dinheiro não teve tanta (ou quase nenhuma) importância, rendendo muitas risadas, conversas, troca de objetos, serviços e conhecimentos. Nada melhor que começar a noite com um fandango caiçara, com o Grupo de Fandango Batido São Gonçalo. O grupo de dança “Hórus” de Cananéia se apresentou com as pequenas dançarinas de Dança do Ventre e também com as alunas das aulas da “melhor idade”. A programação seguiu com o lançamento do livro “Comunidade Negra do Rocio: Resgatando Nossas Raízes Jongueiras” dos jovens da AGC Tiduca, finalizando com uma Roda de Jongo. Os shows da noite foram Dido Modolo, com o lançamento do CD “DOM” e muito forró pé de serra com Nativus da Ilha. O domingo foi destinado às atividades com as crianças, que puderam de divertir e brincar com o grupo “Giz de Ser” que, através da arte da Contação de Histórias, pode mostrar a importância do verdadeiro ‘brincar’. Recreação, pintura facial e esculturas em bexigas fecharam as atividades com a garotada. Toda a organização do evento foi realizada pela Associação Rede Cananéia, que agradece a todas as associações, cooperativas e grupos participantes da Feira e do Encontro, ao Departamento Municipal de Obras e Serviços pela logística realizada e demais parceiros, que tornaram possível o evento.

Grupo Cheiro do Mato participa da VII Feira de Economia Solidária em Cananéia

O Grupo Cheiro do Mato – Produtos Naturais com Plantas Medicinais do Itapitangui participou da VII Feira de Economia Solidária em Cananéia e IV Encontro de Arte e Cultura, entre os dias nove e 11 de dezembro, onde pôde divulgar e comercializar seu trabalho com base em produtos de higiene pessoal à base de ervas.

Comunidade Tradicional Caiçara da Enseada da Baleia

A Enseada da Baleia é uma comunidade tradicional caiçara que vive na Ilha do Cardoso, município de Cananéia, litoral sul paulista. A Ilha, que abrange uma área de 13.500 ha, foi transformada em Parque Estadual no ano de 1962, ocasião em que já residiam no seu interior diversas comunidades caiçaras. A presença das comunidades caiçaras com seu modo de vida integrado à natureza é fundamental para a Ilha do Cardoso manter-se preservada, abrigando extraordinária diversidade biológica e cultural. Por muito tempo a Comunidade da Enseada da Baleia sobreviveu exclusivamente da pesca que, com o passar do tempo, foi se tornando escassa levando-a a buscar outras formas de subsistência. Passou, então, a desenvolver o turismo de base comunitária que é hoje uma das principais atividades da comunidade, além de uma alternativa ao turismo convencional, atendendo a um só tempo ao anseio de preservação da biodiversidade, ao fortalecimento do modo de vida tradicional e à geração de renda. Na perspectiva do desenvolvimento sustentável, a comunidade ainda retomou práticas tradicionais, como a comercialização de peixe seco e buscou empreender com novas atividades, como a confecção de roupas artesanais. Atualmente, o grupo de Mulheres Artesãs da Enseada da Baleia congrega todas as mulheres da comunidade, que desenvolvem, em conjunto, roupas, acessórios e objetos de decoração que remetem ao seu cotidiano. Com o reaproveitamento de redes de pesca descartadas fazem da sustentabilidade um princípio fundamental na criação das peças artísticas. Não obstante tratar-se de área protegida, extremamente preservada, a Ilha do Cardoso vem, já há algum tempo, sofrendo intenso processo erosivo que promete mudar a barra do Canal do Ararapira para o local onde hoje se encontra a Comunidade da Enseada da Baleia. Esse processo erosivo foi intensificado com as fortes ressacas que atingiram o litoral sul paulista nos últimos meses de 2016, impondo a necessidade de remoção imediata da comunidade do local. A estreita faixa de areia que separa o canal do mar aberto (hoje com apenas dois metros) encontra-se extremamente frágil e pode romper-se a qualquer momento, colocando em risco a integridade física dos moradores da Enseada. Por outro lado, a esperança, a união, e a força dessa comunidade não são frágeis como o cordão litorâneo que a ameaça, pelo contrário, possuem bases familiares e culturais fortes que jamais se romperão. E assim, a comunidade sempre unida, pretende reconstruir suas casas em um novo lugar.
Uma nova Enseada surgirá!
A nova construção será ao Sul do Marujá, a seis Km da Enseada da Baleia de hoje, a área escolhida leva histórico de laços familiares, já que a Erci Malaquias (matriarca da comunidade) viveu parte da adolescência nessa área, sendo dela a primeira moradia onde terá espaço suficiente para abrigar todos os familiares em caso de emergência, até que todas as moradias estejam construídas. A construção das novas casas é urgente devido à necessidade de imediata remoção, a autorização para realocação das famílias já está autorizada pelo Estado, mas infelizmente, até o momento, o Estado não reportou recursos pra isso. Mas para que isso aconteça, a comunidade precisa da sua ajuda! Sua doação é fundamental para que as famílias possam reconstruir seus lares e a comunidade possa se reestabelecer com esperanças num futuro melhor. As doações são espontâneas e podem ser feitas por meio de depósito na conta da Associação dos Moradores da Enseada da Baleia, no Banco Bradesco - 237, Agência 5988, Conta Poupança 1000665-1. Quem eventualmente deseje obter recibo da doação, pode entrar em contato conosco pelo Facebook ou com a própria comunidade através do telefone (13) 997719708. Estamos com uma campanha no site Benfeitoria! Se você ainda não ajudou, essa é a hora de ajudar, ganhar recompensas e colaborar para que a tradição local não acabe! A sua divulgação também é fundamental para que esse projeto atinja as metas e a comunidade consiga se reerguer! Acesse: https://benfeitoria.com/ajudeanovaenseada. Divulgue! A força do coletivo sempre vence! #ajudeanovaenseada #benfeitoria.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Rede Cananéia e organizações parceiras realizam reunião finalização do Projeto Maleta Futura edição Por que Pobreza? Educação e Desigualdade

No último dia 28 de novembro, segunda-feira, das 13h às 17h, na Biblioteca da Escola Municipal de Ensino Fundamental “Geraldo Belletti Britto”, reuniram-se representantes do Departamento Municipal de Educação, Escolas Municipais de Cananéia, Escolas Estaduais “Bairro Cubatão” e “Professora Yolanda Araújo Silva Paiva”, Departamento Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, CRAS – Centro de Referência em Assistência Social de Cananéia, CRAS volante e Associação Rede Cananéia para a reunião de finalização do Projeto Maleta Futura Por que Pobreza? Educação e Desigualdade com avaliação e reflexão sobre o caminho trilhado nesta parceria no último anos, sob a coordenação da multiplicadora Vanessa Pipinis, do Canal Futura. Durante o encontro foi possível pontuar as ações desenvolvidas pelos parceiros, as dificuldades encontradas e os próximos passos para a construção de uma rede de proteção à infância articulada no município. Vale ressaltar que o encontro contou com o Café Caiçara de Valkíria Monteiro.